5 de maio de 2017

Como nos tornarmos pessoas melhores?

Como retirar do coração e da mente sentimentos e valores que não apreciamos mais, que não nos fazem bem?
Com certeza, esse tipo de pensamento, esse desejo, essa preocupação nos ocorre, com certa frequência.
Perdemos a calma quando desejaríamos ter muita paciência.
Falamos rispidamente quando teríamos preferido não alterar a voz.
Utilizamos palavras rudes quando melhor seria que mantivéssemos a gentileza e os bons tratos.
Quantas vezes isso ocorre?
Quantas vezes não nos vemos exatamente nessas situações?
Depois que os momentos de fúria passam, sentimos como que uma ressaca moral a nos maltratar, arrependidos por termos agido de forma tão desagradável.
Nesse momento, voltamos a nos perguntar: Como nos tornarmos pessoas melhores?
Como nos modificarmos de dentro para fora?
Esse é o grande desafio de todos nós: conquistar o progresso moral, insculpindo em nossa intimidade valores nobres.
Porém, logo nos perguntamos: Como aprender aquilo que ainda não sabemos?
Como nos alfabetizarmos nas lições que ainda não dominamos?
A lógica nos diz que, para um bom aprendizado, é necessário um bom mestre e uma boa cartilha.
Para se iniciar em um campo que desconhecemos, busquemos o melhor exemplo, a melhor referência.
E, quando falamos de progresso moral, da busca de virtudes que nos farão melhores, qual a melhor referência?
Quando questionados a respeito do tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem para lhe servir de guia e modelo, os Espíritos superiores responderam a Kardec, o Codificador da Doutrina Espírita, em uma síntese perfeita: Jesus.
É por isso que, sem sombra de dúvida, afirmamos que Jesus constitui o tipo da perfeição moral a que podemos aspirar na Terra.
Não há melhor Mestre para nos ensinar as virtudes do que Ele, o pastor das nossas almas.
Amoroso sem perder a firmeza, compreensivo sem ser complacente, Jesus oferece em Suas lições o melhor roteiro para as dificuldades morais que ainda atravessamos.
Reflitamos sobre as bem-aventuranças…
Quantos de nós investimos nossa vida, ou educamos nossos filhos para que sejamos todos misericordiosos, ou mansos ou pacíficos?
Quantos acreditamos que é uma ventura ter sede e fome de justiça ou ainda chorar e ser pobre de espírito?
Sabedor das nossas dificuldades e mazelas, foi Jesus quem nos indicou buscá-Lo, quando estivéssemos cansados e aflitos pois Ele nos aliviaria.
Ensinando que Seu fardo é leve e suave o Seu jugo, esclareceu que o grande alívio da alma é Sua proposta de amar.
Portanto, quando cansados de nós mesmos, quando fartos de repetir os mesmos erros e tropeçar nas mesmas dificuldades, busquemo-Lo.
Seja na reflexão em torno de Seu Evangelho, seja na prece a nos conectar com Ele, buscar Jesus será sempre a terapia maior para nossa alma.
Quando, corajosamente, O adotarmos como o Modelo e Guia para nossos dias, alegrias e venturas terão morada permanente em nossos corações.
E, finalmente, alcançaremos a reforma interior que tanto desejamos.

Fonte: Texto de Roger Andrade

29 de abril de 2017

Ontem e hoje... Quantas diferenças!


Esse eu escrevi em setembro de 2008. Acho que já postei aqui,mas como não me lembro posto novamente. Dedico às crianças do futuro. Sonhos de liberdade.
Quando eu era criança não sabia que era tão complicado. Brincava e corria à procura de vento e sol. Era, na época, meu único destino. O tempo passou e foi um longo processo, da meninice à vida adulta. Quantas responsabilidades. Quantas alegrias por universos conquistados. Hoje, vejo meus filhos crescendo na velocidade luz. Sinto falta de conversas mais longas, de lanches mais rebuscados, do riso solto na mesa farta. A família se reunia, contava coisas do cotidiano. Não me lembro dos assuntos serem contas a pagar. Lembro de comemorações, de como estávamos na escola, como eram nossos amigos. Como foi dar o primeiro beijo adocicado pelo amor. Como foi a primeira noite, dos carinhos e afagos. Havia um olhar para as pessoas de forma mais humana, menos banal. Tudo tão bonito; até quando aconteciam coisas ruins era bonito. Era mais íntegro. Tínhamos uma vontade de poder, de potência, de liberdade. Vontade de ousar e de superar. Buscávamos ter empatia por nossa profissão. Sentíamos, em nós mesmos, o nosso dom. Não precisávamos de exércitos de orientadores profissionais para dizer do que gostávamos, o que nos realizava. Hoje vejo jovens mais tristes, mais frenéticos, sem tempo sequer de dizerem olá. Parece que o mundo vai acabar, que suas vidas serão arruinadas a qualquer momento.O dinheiro, a máscara da superfície ganhou forma. Somente a pele é relevante. Danem-se nossas vísceras, nossos afetos, nossos desejos mais sublimes. As pessoas brigam, se maltratam e não se olham mais nos olhos, não são mais francas, de coração. São cegamente narcisistas, só pensam nelas mesmas e são francamente más. A competição é grande, todos têm inveja de alguma coisa ou de algo que alguém tem. Todos querem possuir sem gostar, sem o dom de apreciar. Lembro-me quando meu avô trazia prá casa alguns doces. Leite condensado era artigo de luxo. Lambia os beiços quando comia palitinhos de chocolates comprados na feira. Hoje temos tantas marcas de biscoitos que perdemos o paladar; não sabemos o que é amargo ou doce. Teria tanto que escrever, tanto que dizer. De qualquer forma, deixo um recado para quem ainda não nasceu ou para quem quer renascer: olhem mais, escutem com atenção, se alimentem com tranqüilidade, saboreiem a vida. Enxerguem com o coração, respeitem os outros, respeitem as regras, quebrem-nas com sabedoria. Tenham amor à vida! Tenham amor ao planeta. Tenham amor pela família e não confundam amizades interesseiras com amizade profunda; isso requer mais cuidado, mais assertividade e mais trabalho. Não julgue o que você é, somando ou diminuindo. Ser inteiro leva tempo e requer habilidades.Talvez sua busca nunca se complete, mas você tentou. E, saiba sempre que tudo na vida tem conseqüências. As coisas sempre têm vários lados. Priorize o seu lado melhor e aprenda com os erros.
Marisa Speranza

24 de março de 2017

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO



Não chore pelo que você perdeu,
lute pelo que você tem.

Não chore pelo que está morto,
lute por aquilo que nasceu em você.

Não chore por quem te abandonou,
lute por quem está a seu lado.

Não chore por quem te odeia,
lute por quem te quer feliz.

Não chore pelo teu passado,
lute pelo teu presente.

Não chore pelo teu sofrimento,
lute pela tua felicidade.

Não é fácil ser feliz,
temos que abrir mão de várias coisas,
fazer escolhas e ter coragem de assumir
ônus e bônus para ser feliz.

Com o tempo vamos aprendendo
que nada é impossível de solucionar,
apenas siga adiante com quem quer
e luta para estar com você.

Se engana quem acha que a riqueza e o status atraem a inveja…
as pessoas invejam mesmo é o sorriso fácil,
a luz própria,
a felicidade simples e sincera
e a paz interior…

Papa Francisco

6 de março de 2017

É idosa? Aproveite e viva a vida plenamente!



Quem assiste ao Big Brother Brasil17 pôde conferir um momento muito emocionante no qual a participante mais velha da casa, Ieda, a aposentada de 70 anos de idade, falou um pouco sobre a velhice e os motivos que a levaram a participar de um reality show conhecido por ter participantes sempre muito jovens. Durante dois minutos e meio, Ieda levou os brothers que a ouviam às lágrimas e nos ensinou uma valiosa lição de vida. Confira abaixo o discurso na íntegra:

“Eu falava com alguém ontem sobre a minha mãe. Porque, apesar de eu estar assim já com certa idade, eu também tive mãe. Minha mãe morreu nos meus braços, morreu assim comigo segurando e ela olhando e perguntando o que estava acontecendo. E eu não tenho mais ninguém acima de mim. Eu só tenho responsabilidade.E vocês vão entender quando ficarem mais velhos que a gente nunca deixa de ser criança. Por isso muitas vezes eu disse que vim aqui para mostrar para algumas pessoas mais velhas o quanto elas podem fazer por elas mesmas, sabe? Não se acomodarem, não ficar só cuidando de neto ou limpando casa pra filho. Muitas vezes os filhos fazem as mães de escravas, né. E que elas podem sim ter uma vida agradável ainda. Ação antioxidante: Descubra esse e outros benefícios do café para seu corpo e saúde.  
Compra um batom! Corta o cabelo! Muda a cor do cabelo! Convida uma amiga, compra uma garrafa de vinho. Bote o batom, beba o vinho e olhe sua boca ali no cálice de vinho. E vai lembrar de coisas que você já passou, e vai viver isso com sua amiga.
Vá ao cinema, não para. Continua sempre achando que a vida vai longe ainda, embora ela já esteja ali. A gente quando chega mais no final da vida, se tu não tem a cabeça muito doida com aquele pouquinho de loucura dentro, é triste. Tem que ter um pouquinho de loucura. E muitos sonhos.
E principalmente se cuidar, né? Ser saudável. Botar as pernas, por exemplo, lá atrás pra não ficar com dor na coluna, que a maioria das pessoas tem. Eu tenho 70 anos e não tenho. Tentar fazer alguma coisa, uma academia se der. Se não der pra viajar, vá passar o fim de semana na casa de uma amiga. Não ficar parada".